Eu e SÓ EU...

Eu e SÓ EU...
Alone

Como EU sou...

Photo Effects by Wishafriend
Photo Effects By WishAFriend.com

Bom Dia, Boa Noite... "essas coisas"!

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "só isto"...?!... NÃO... essencialmente, é UM POVO...!!!

Provérbios

“Só um sentido de invenção e uma necessidade intensa de criar levam o homem a revoltar-se, a descobrir e a descobrir-se com lucidez”. (Pablo Picasso)

PORTRAIT




Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos, agora, você vai dar para frente.

Gedeão


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.Gedeão

A(o)s que me deixam MENOS alone...!!!

sábado, 4 de junho de 2011

É uma P I A D A...!!! Eleições no Hospício...

VOTO no "gajo", pois...!!!





Havia no hospício uma eleição pra eleger o novo presidente. Com a disputa acirrada pelo cargo, um dos candidatos vai falar com os loucos:

- Se vocês me elegerem, eu prometo que vou colocar uma piscina aqui no hospício.


O que é ELA tem a ver com a PIADA?!... Isto não é de 'loucos"...?!...



Os "eleitores" adoraram a proposta e no dia da eleição, todos do hospício votaram no candidato, é claro, pensando na piscina.

O candidato foi eleito e, no dia seguinte, começou a construção da piscina para os loucos. Em dois meses a obra foi terminada e, na inauguração, foi aquela alegria, os loucos pulavam de costas, de barriga, caíam sentados, etc. . .

Passados dois anos, época de novas eleições no hospício, o atual presidente diz aos loucos:

- Se vocês me reelegerem, eu prometo que vou colocar água na piscina. . .

Fonte: orapois.com.br


Posted by alone Dated04jun2011


Cantar Abril




A Grande Final do 3º Festival Cantar Abril realizou-se no Teatro Municipal de Almada, dia 30 de Abril de 2011. O Prémio José Afonso (tema original) foi atribuido a Miguel Calhaz pelo tema "Estas Palavras".



Posted by alone Dated04jun2011


RECORDAR É VIVER ou "O mural que não viu Abril"



A parede ficava lá ao cimo depois de uma escada que subia ás águas furtadas. Naquele espaço mal iluminado, por uma claraboia que em dias escuros pouca luz deixaria por certo passar, encontrava-se o mural. Em tons terra estendiam-se a todo o comprimento figuras de ceifeiras de rostos lunares com seus lenços tapando as caras, malteses em trabalho nos campos,carroças de ciganos, feixes de trigo acabados de ceifar, bilhas de água sossegadas descansando na sombra escassa, que uma azinheira desenhava na terra. Um espanto, que se abria num sotão escuro de uma arrecadação onde pouca gente entrava.

A casa era velha e fora construida quando a vila ainda não era subúrbio. A meio da rua entre os plátanos apareciam já os primeiros prédios a aventurar-se, timidos invasores, no espaço que um dia acabariam por encher. Mas agora a vivenda sobressaia, pela traça bem desenhada e airosa, das outras construções. Não era dificil achá-la, com a sua porta grande de madeira com vidros foscos protegidos por arabesco de metal e maçanetas ladeando a fechadura. Dava entrada para um corredor comprido, que começava depois de três degraus, e de onde se entrava para as outras divisões. Fui lá a primeira vez para executar um orçamento.
Era preciso electrificar o sotão.

A mulher que parecia ser a dona da casa recebeu-me na sala e mandou-me sentar o que não era habitual na época. Afinal não passava de um simples electricista. Só depois me conduziu através das escadas e pude pela primeira vez contemplar o mural. Tirei as medidas, calculei os sitios das tomadas e interruptores e o trajecto por onde passaria o fio de modo a não tocar a pintura que começava já a sofrer a erosão do tempo e das humidades.
Acordado o preço, marcou-se o dia e despedi-me depois de um café servido por uma empregada com farda de folhos ainda nova e certamente interna na casa.

Sai a pensar na harmonia de maneiras da senhora, na delicadeza graciosa da criada e na beleza escondida do mural. Nunca tinha trabalhado numa casa assim. Quase sempre os pedidos vinham de gente modesta para colocar novas lampadas ou remediar curtos circuitos que iam escurrecendo de tempos a tempos as casas. Fazia esses trabalhos nas horas livres que a Escola Industrial e o emprego deixavam sobrar.
Mais no Verão, nas férias escolares cheias de dias longos, quando a luz deixava ainda muitas horas para trabalhar.

E a instalação lá se fez entrecortada por longas distrações, seguindo as linhas, descobrindo os pormenores dos traços, pensando nas misturas das tintas e na técnica do pintor do mural. Gostava já demais de pintura embora não sonhasse sequer com a ideia de um curso de Belas-Artes.
Isso não era para gente como eu e ponto final.

Foi no último dia que a boa senhora me apanhou distraido. "Gosta desse mural não gosta?". Baixei os olhos timido. Gostar era pouco, fascinava-me o talento do pintor que na sombra desenhara as figuras, longe da luz, talvez de noite, como que escondendo algo que, achava eu, ficaria melhor noutro local à vista de todos. Nessa altura não sabia nada de politica e nem sequer conhecia essa palavra. "Foi o meu genro que o desenhou e pintou quando namorava a minha filha" disse sorrindo com malicia "este sotão era o lugar deles". Faiscou-me na ideia que talvez ele não se importasse de dar algumas lições da sua arte e perante a simpatia do trato arrisquei perguntar pelo pintor. A resposta veio triste envolvida em lágrimas silenciosas. "Está preso". Pedi desculpa atarantado.
A mulher desceu a escadas e pouco depois dei por terminado o trabalho.

Durante muito tempo não voltei a passar por aquele lugar, tão distante dos meus percursos habituais. Mais tarde emigrei em fuga a uma guerra que não queria e fiquei muito anos fora do pais. Voltei com a liberdade a um pais novo, e pintei então muitos murais, numa fúria de criar com cores e luz cenas do futuro a encher praças e ruas. E quiz rever a obra que me tinha encantado. Já não existia.
O senhorio ficara com a casa por morte da velha inquilina e num desvario alarve, assustado com o reconhecimento do pintor mártir do fascismo e os boatos de ocupações, tinha mandado apagá-lo, pintando todo o sotão de um verde feio e escuro de garrafa.

André de Agualva
S. João do Estoril, Portugal

Fonte: portugal-linha.pt



Posted by alone Dated04jun2011


sexta-feira, 3 de junho de 2011

Poema de Sophia de Mello Breyner - Pirata




Sophia... é Sophia!


Das maiores Poetisas em Língua Portuguesa!...



Posted by alone Dated03jun2011


Piada: A Sonsa (... coitadiNHA...!)



Uma prostituta é vista por um turista na Bahia e começaram a namorar. Apos 2 meses de namoro, o gringo querendo transar, ela se fazendo se sonsa, dizia que ainda era virgem para o rapaz, e só deixaria de ser virgem depois que casasse.
Fizeram um acordo, 1 dia antes do casamento, eles transavam para o gringo certificar que realmente ela era virgem. Marcaram o casamento...



A menina que era semi-analfabeta, foi pedir ajuda a mãe já que ela sabia de sua vida profissional, dai ela falou:
- Minha filha, compre tinta vermelha e na hora do sexo, você joga um pouquinho de cada vez.
A ex-prost saiu alegre para comprar a tinta e chegando na loja tinha esquecido a cor da tinta Azul? Preto? Amarelo? resolveu comprar verde.
Como o combinado os dois foram transar, dai quando a menina jogou a tinta o gringo olhando para o pau todo verde falou:
- Caraca, estourei até as VEIAS


Da NET




Posted by alone Dated03jun2011

Poeta, mostra sua cara!



Nem vem de escada que o incêndio é no porão...
CARLOS IMPERIAL

Quando eu piso em folhas secas, caídas de uma mangueira...
NELSON CAVAQUINHO

A saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu...
CHICO BUARQUE

Vira essa folha do livro e se esqueça de mim...
VINICIUS DE MORAES

Na minha terra, Bahia, entre o mar e a poesia tem um porto: Salvador... GILBERTO GIL

Igual sem fim, minha terra, passava dentro de mim...
CAETANO VELOSO

Nossas roupas comuns dependuradas, na corda qual bandeiras agitadas...



ORESTES BARBOSA

Eu sou a lâmpida, e as muié é as mariposa...
ADONIRAN BARBOSA

Ah, se eu fosse você, eu voltava pra mim... Silvio Cesar
SÍLVIO CESAR

Nada do que foi será igual ao que a gente viu há um segundo...
NELSON MOTTA

Vida é fazer todo sonho brilhar...
CAPINAM

Corre e diz a ela que eu entrego os pontos...
CHICO BUARQUE

A que será que se destina?
CAETANO VELOSO

Vocês, Marias de agora, amem somente uma vez, pra que depois essa capa não sirva em vocês...



LUPICÍNIO RODRIGUES

Juliana na roda com João, uma rosa e um sorvete na mão...
GILBERTO GIL

Mas a flor amada, é mais que a madrugada...
JOÃO DO VALE

E gritava a, é, i, ó, u... ipsilone...
ROSIL CAVALCANTI

Um homem cansado, carente de cerveja e velhos amigos...
RENATO TEIXEIRA

Cheia de encanto, como uma gazela, tão colorida como a primavera...
BEBETO

Porque meu coração é uma ilha, a centena de milhas daqui...
DJAVAN

Ah, que saudade, que vontade de ver renascer nossa vida...
VINICIUS DE MORAES

Andar pela praia até o Leblon...
TOM JOBIM

Viva a porta-bandeira! -- Sou eu, ela pensou... Mas foi a outra quem se curvou...



PAULO CESAR PINHEIRO

Meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim...
CAETANO VELOSO

Ah, tira a solidão de mim, tira esse olhar dos olhos meus...
VINICIUS DE MORAES

Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu...
DORIVAL CAYMMI

Meu sangue errou de veia e se perdeu...
CHICO BUARQUE

O barquinho vai, a tardinha cai...
ROBERTO MENESCAL

E sepultar bem longe o que restou da camisa colorida, que cobria minha dor...



PAULINHO DA VIOLA

Melhor seria ir de amor morrendo que ficar vivendo vendo o amor morrer...



PAULO SÉRGIO VALLE

Nada de correr da raia, nada de morrer na praia...
VICTOR MARTINS

Esse nosso amor ziguezagueou e foi sem direção: se foi bom, ou ruim, foi demais...

DUDU FALCÃO

Então ela se fez bonita como há muito tempo não ousava ousar...
CHICO BUARQUE

Saiba que os poetas, como os cegos, podem ver na escuridão...
CHICO BUARQUE

Canta Maria, que a vida, Maria, vai mudar...
GERALDO VANDRÉ


Poeta, mostra sua cara! foi o nome de uma série de shows produzidos por Solange Kafuri alguns anos atrás, sempre às 20 horas de domingo no saudoso JazzMania, aqui no Rio. Durante meses freqüentamos assiduamente os acontecimentos, onde, ao contrário do que quase sempre ocorre, eram os letristas que se apresentavam, cantando e declamando suas obras. Tomado pela lembrança desses bons momentos, citei acima versos que me vieram à cabeça. Como tudo foi feito sem consulta, se notarem alguma falha, comuniquem.

Fonte: releituras.com




Posted by alone Dated03jun2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Fred Mercury e Montserrat Caballé em BARCELONA




Uma música e interpretações ESPECTACULARES destes 2 grandes ARTISTAS: Mercury e Caballé.


E, BARCELONA, cidade maravilhosa bem mereceu uma MÚSICA... assim!...



Posted by alone Dated02jun2011


EXCELENTE ARTIGO DE BAPTISTA BASTOS



A farsa trágica
por Baptista Bastos

As peripécias da revolução portuguesa sempre tiveram características incomuns. A via original para o socialismo foi um estribilho mais do que um conceito. Até hoje ninguém conseguiu descobrir qual a natureza dessa originalidade. Era uma época em que se bebia em excesso e quase tudo era permitido ou aceito com benigna complacência. Zeca Afonso comentava, irónico, que o álcool era, afinal, a via original para o nosso socialismo. O PREC constituiu mais do que um acrónimo: foi um modo de se tentar ludibriar a História e uma maneira, um pouco louca, um pouco ingénua de se viver a vida. Até então, as coisas eram direitinhas, brunidas, organizadas em esquadrias. Falava-se baixinho, escrevia-se baixinho, amava-se baixinho.
Julgávamos ter estilhaçado o que fora medonha punição, e que éramos os donos do nosso destino. Foi quando uma marcha de José Mário Branco nos reenviou para a realidade: “Qual é a tua, ó meu / andares a dizer quem manda aqui sou eu?!” Todas as festas acabam em melancolia. A nossa fechou em carácter fúnebre. E nunca parou de assim ser, com breves intervalos cómicos. Abstenho-me de os mencionar, por evidentes. Os protagonistas foram promovidos.
De tropeção em tropeção, chegámos a isto. A decência e a dignidade têm sido espezinhadas; repetem-se os mesmos rituais de substituição com os mesmos rostos, idênticas mentiras, semelhantes desaforos. Sai Sócrates, entra Passos. O sotaque não é diferente. E a farsa, agora, é quase trágica. Passos não vai melhorar a vida portuguesa, e até já ameaçou com impostos quando, há dias, dissera rigorosamente o contrário. Por outro lado, na hipótese de uma “ampla” coligação, os senhores do poder admitem PS-PSD-CDS, mas rejeitam liminarmente José Sócrates. É uma situação improvável. Mas as negaças do poder dispõem de meios extremamente persuasivos. Tem-se, assim, que o secretário-geral do PS, reeleito com margem devastadora, é uma espécie de zombie. Que fazer com este homem?
A questão, permanentemente omitida, é que o infortúnio de muitos e os privilégios de meia dúzia assentam uma frase de Balzac: “Todas as fortunas têm origem num crime”; ou na interrogação de Garrett nas Viagens na Minha Terra: “Quanto custa um rico a um país?”, e na consequente resposta: miséria, fome, desespero.
Tanto o PS quanto o PSD ou a tal coligação, antevista mas já vista, têm liquidado a nossa força e tripudiado sobre a nossa soberania. Não estão interessados nessas minudências. E nós vamo-los aceitando, com a benevolência indolente, que parece ser a marca de um mau fado e de uma inevitabilidade.

Fonte: desenvolturasedesacatos.blogspot.com/





Posted by alone Dated02jun2011


Para o Jornalista, Tudo o que é Provável é Verdade



«Para o jornalista, tudo o que é provável é verdade». Trata-se dum axioma estupendo, como tudo o que Balzac inventa. Reflectindo nele, nós percebemos quantas falsidades se explicam e quantas arranhadelas na sensibilidade se resumem a fanfarronices e não a conhecimento dos factos. Em geral, o pequeno jornalista é um profeta da Imprensa no que toca a banalidades, e um imprudente no que se refere a coisas sérias. Quando Balzac refere que a crítica só serve para fazer viver o crítico, isto estende-se a muitas outras tendências do jornalista: o folhetinista, que é o que Camilo fazia nas gazetas do Porto (...). Eu própria não estou isenta duma soma de articulismos, de recursos à blague, de graças adaptáveis, de frequentação do lado mau da imaginação, de ridículos, de fastidiosos conselhos, de discursos convencionais, de condenações fáceis, de birras imbecis, de poesia de barbeiro, de elegâncias chatas, de canibalismo vulgar, de panfletismo «bom cidadão». Quando não sou nada disso, sou assunto para jornais, mas não sou jornalista.

Agustina Bessa-Luís, in 'Dicionário Imperfeito'



Fonte: ocitador.pt




Posted by alone Dated02jun2011


quarta-feira, 1 de junho de 2011

A vovó tem pacto com o demo? Não tem, mas tem chifres de verdade!






Uma senhora de Linlou, província da China assustou seus vizinhos e familiares quando há 1 ano atrás uma protuberância em forma de chifre em sua testa começou a despontar. Zhang Ruifang, que está mais pra lá do que pra cá já completou seus 100 aninhos. Após 1 ano de crescimento o chifre já tem 6 centímetros e está nascendo outro do lado, sinistro mermão!! No início a senhora pensou que era só um calombo, mas que calombo!!! De toda a família, só ela que tem os chifres! Será que ela é boazinha?! Apesar do medo de todos os amigos, familiares e vizinhos e muita supertição, segundo médicos, trata-se de um fenômeno de crescimento cutâneo, e que sempre não passa de alguns mílimetros, ela é um caso raro.



Vixe!!!

Fonte: reidacocadapreta.com.br




Posted by alone Dated01jun2011


O Emigrante - Conjunto Maria Albertina







Alone: deixo aquí alguns comentários ao Vídeo...




Principais comentários


sou jovem e imigrante e apesar de esta musica nao ter nada a ver com o meu estilo de musica acho que retrata perfeitamente a vida de um imigrante e acredito que esta musica faça qualquer imigrante ficar com as lagrimas nos olhos, assim como a mim....
gas4everthuglove 1 ano atrás


Là esta o Elite de Lisboa com as suas teorias!
Eh pa! Eu sou emigrante, mas detesto a mentalidade de alguns emigrantes teem. Quando chego a Portugal faço tudo para não parecer dum emigrante porque não estou de ferias, estou no meu pais! Agora tu, es à Elite portuguesa, filhos de papa, que não tinham difficuldades para comer todos os dias!
Se tinhas alguma consideraçao para o teu povo, compreendias que gente das terras tiveram que emigrar para ter uma vida mais facil...
brownfieldnow 1 ano atrás


até fico arepiado..... orgulhoso das nossas culturas tradiçoes... nao nos esquesemos dos nossos antigos.
marquinho78500 1 semana atrás


SO QUEM NÃO FOI OU NÃO É IMIGRANTE A QUE NÃO COMPREENDE O QUANTO CERTAS MUSICAS TOCAM NO FUNDO DA ALMA LUSITANA. E ESTA É UMA DELAS EM QUE SE EXPRESSA O SENTIMENTO DE TER DE IMIGRAR PARA OUTROS PAÍSES E DEIXAR PARA TRÁS TUDO O QUE LHE É QUERIDO
MESSIEUR1949 1 semana atrás


que linda
mj4ever944 3 semanas atrás


que saudafes de portugal...
mj4ever944 3 semanas atrás


mon cœur est ému quand j'entends cette chanson c'est la chanson que j'entendais si souvent chanter mon papa adoré. je l'aime tant et il me manque énormément
DV59850 1 mês atrás


La chanson que mon Grand-père voulais et a eu il y a 4 mois même si je ne comprend pas tout c'est si émouvant
Flodu01100 2 meses atrás


sim senhor......boa fala bem ditooooooo....es dos meus pa.
yeiko955 2 meses atrás


@goodboytuga9 k bom k consegue lidar melhor, eu todos os dois meses apanho o meu voo de londres para lisboa e no regresso so me apetece chorar e sinto uma agonia que nao tem explicacao.
PTphoenixUK 2 meses atrás



Posted by alone Dated01jun2011


José Jorge Letria - Cesário Verde










Enviado por rtp em 31/05/2011

http://www.facebook.com/avidadossons


http://www.rtp.pt/antena1/



Posted by alone Dated01jun2011



A “mesmice”...



Quando olho –daquí do Brasil- as próximas eleições de Junho aí em Portugal, fico com a “estranha” sensação de um “déjà vu”... ! Ou seja, eu saí de Portugal em Março de 2007 e, estamos em Junho de 2011 e, as campanhas, os apoiantes, os partidos, enfim TODOS continuam sem surpreender ninguém, sempre com as mesmas promessas e lamechices e, até o termo “fixe”, se voltou a ouvir de novo.
Para um País que NECESSITA de novas idéias, novos políticos, inversão de condutas e manobras políticas, NADA SE ALTEROU nem SE IRÁ ALTERAR depois de “consumada” a ida às urnas dos Portugueses.



Tristes cenários se nos apresentam para ENCARAR O FUTURO com

TUDO NO PASSADO!...



Nem o novo líder do PPD/PSD, Passos Coelho, veio introduzir qualquer inovação na “coisa” Pública, remetendo-se para uma mediania sofrível, apoiado pelos “aduladores” de SEMPRE do Partido (nem “esses” mudaram...), valendo-lhe (... e só...) alguma “raivite” de MUITOS dos Portugueses pelo ex-1º, Sócrates, para conseguir andar com a “cabecinha à tona d’água”...! Do Portas, muito “sério, honesto e político”, não responde a ninguém, apenas tendo “trocado” os “velhinho(a)s” das Feiras e Marcados pelos Lares de Idosos e, mais uma vez, “apelando” –como novo “porta voz do extinto Movimento Nacional Feminino”- a lembrar (“cobrar”?!...) ajudas que diz que deu aos ex-Combatentes do Ultramar Português... “velha receita” que muitos dos ex-combatentes “ainda nem sentiram” sequer “passar” por eles!... O Jerónimo, a quem já chamaram de Ministro, também não “anda nem desanda” e conserva lá bem no cantinho da alma, um possível acordo com o Engº.Sócrates, se a “coisa” der para aí...!!! O José Sócrates –já sabemos- é “FIXE”... e “tá” TUDO dito!... O “engraçado” da história é que, mesmo assim, é o MAIS candidato dos candidatos...!!! “E esta, hein?!... como teria dito o saudoso Fernando Pessa”...?! Nem o candidato do Bloco, Louçã, me parece “mais atrevido” que das outras vezes!... É, embora mal-acomparado- como aquela erecção que o homem tem de manhã antes de fazer o seu chichi... !!! E, ele, “já fez” o chichi dele...!!! Nos outros Partidos, tipo 0,52% e 0,81%, etc. e tal, de idéias “nickles, pickles, batatóides” e, alguns, nem o àvontade para abordarem na rua os Portugueses eles têm... !!!



Ou seja: nem há um DESAFIO para EFECTIVO para os PORTUGUESES se ASSUMIREM!

NÃO HÁ...!!!



Há, sim, um Plano imediato da CEE/FMI/Banco Mundial, que PESA sobre o dia-a-dia de cada Português... ISSO, HÁ...!!!



E há –também- aquilo a que chamamos de FUTURO.

Que FUTURO vai sair destas eleições para TODOS NÓS...?! Algum...?!...


Na me “cheira” (cá pra MIM que NINGUÉM me lê nem ME OUVE...!)...!!!

Inté.
Cheiros... rsrs (eu "rir" pra não chorar...)



Antonio Rui




Written and posted by alone
Dated01Jun2011


AMO



Nunca diga te amo se não te interessa.
Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem.

Nunca toque numa vida se não pretende romper um coração.
Nunca olhe nos olhos de alguém se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por causa de ti.

A coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por você quando você não pretende fazer o mesmo.


Mário Quintana

Da NET




Posted by alone Dated01jun2011


terça-feira, 31 de maio de 2011

Seguro de Automóvel (Não é pra PAGAR! É só uma PIADA...!)



Vocês sabem que hoje em dia o seguro de um automóvel é indispensável. ..
Não podemos deixar nem Uno de nossos Benz a Mercedes desses ladrões que fazem a Fiesta, nessa Honda de assaltos!
A Marea está Brava!
Quem não segura o seu automóvel, pode se Ferrari e depois só GM pelos cantos ou fica a Ranger os dentes e a Courier de um lado para outro, vigiando a Strada e perguntando:
- Kadett meu carro?
Faz a maior Siena e fica Palio de nervoso!
Aí, vai rezar um terço para Santana ajudar...
Mas isto não Elba stante para ter seu carro de volta!
Seguro é o Tipo de negócio difícil, Mazda para resolver, sem ficar com cara de Besta no final!
O seguro é um Prêmio para quem o faz!
Tempra todo veículo. Tem Parati também.
E, na hora de fazer o seguro do seu carro, pense nas Variant es...
Afinal Quantum mais opções, melhor !
Você vai ver que o nosso seguro é legal as Pampa ...
Por isso, ele o Fusca os demais, e vai marcar um Gol na hora do Accord!
Não deixe o prazo Passat!
Monza obra, venha Logus! Estamos Kombi nados?
Espero seu contato...
Somos bem melhores Kia concorrência e se você perder esta Xantia, vai se Corsa todo de raiva, o Ka?
Com nosso seguro, você pode passar um Weekend tranqüilo, pela praia de Ipanema que, se roubarem seu carro, mesmo que seja em dia de Eclipse, você não terá problema...
Temos nossa Suprema garantia de pagamento em prazo recorde!
Não precisa D20 dias, como outros que tem por aí...
Hoje mesmo estamos pagando um seguro de um roubo que ocorreu A10 dias, S10 se, nós pagaríamos antes até!
Você pode estar em qualquer lugar, de um Polo ao outro, que nós damos a assistência que precisar!
E só Scania os documentos e mandar por e-mail mesmo!
Faça seguro! É Clarus que é bom! Boa Voyage e Pointer final.

OBS: Se você achou este texto interessante, Cherokee e Mondeo para seus amigos!

Fonte: piadasengracadas.net





Posted by alone Dated31may2011



O Brasil em 1000 frases



· Meu negócio agora é sexo e amizade. Acho esse negócio de amor uma coisa muito chata. (Caetano Veloso/1983)

· Pessoas espertas tomam atitudes estúpidas por razões amorosas. (Lawrence Kasdam)

· A Bahia é o Mississipi do Brasil. (Lulu Santos)

· Ninguém faz tudo bonito sempre. Até Deus. Ele fez o cavalo e também o rinoceronte. (Vinicius de Moraes)

· O problema é que o Brasil é de cabeça para baixo, de trás para diante e pelo avesso. (Tom Jobim)

· Brasil? Fraude explica. (Carlito Maia)

· Que coisa ridícula eu, com 58 anos, falar bumbum. É bunda, não é? (Hebe Camargo/1990)

· Ser carioca é gostar de ovo frito em cima de qualquer prato. (Carlos H. Cony)

· O governo quer culpar a janela pela existência da paisagem. (Borjalo/1980)

· No Nordeste se diz que quem corre cansa, quem anda avança. (J. Costa Cavalcanti)

· Em traseira de burro, dianteira de padre e cabeça de juiz não se pode confiar. (Ney Maranhão)

· Nenhum banco morre de repente. (M.H.Simonsen/1983)

· O primeiro economista do mundo foi Cristóvão Colombo: quando saiu, não sabia para onde ia; quando chegou, não sabia onde estava. E tudo por conta do governo. (Ronaldo Costa Couto)

· A única responsável pelas enchentes foram as chuvas (sic). (Mário Covas/1985).



· O poder é como o violino: toma-se com a esquerda e toca-se com a direita. (Esperidião Amin)

· Aí, falei: "Não foi falta, seu burro". Mas não ofendi o juiz. (Roberto Carlos/Palmeiras)

· Não sei o que é feminismo. Mas, se for coisa boa, concordo e assino em baixo. (Dario - Dadá Maravilha)

· Se ter filho fosse uma coisa difícil, seria o homem que iria parir e não a mulher. (Roger "Ultraje a Rigor" Moreira)

· As pesquisas que temos feito com os indecisos indicam que nós temos a maioria dos indecisos. (Paulo Maluf/1986)

· Toda sociedade tem a inflação que merece. (M.H.Simonsen/1980)

· Quem vai na frente bebe água limpa. (Ulysses Guimarães/1983)

· A saliva é o combustível dos políticos e, graças a Deus, não está em falta no mercado. (Ulysses Guimarães)

· Se acham que com essa história de velho vão me dar por vencido, se enganam. Velho sim, velhaco não. (Ulysses Guimarães/1989)

· O inglês é o esperanto que deu certo. (Rita Lee)

· A metáfora é a guardiã da realidade. (Adélia Prado)

· Eu escrevo todo dia, por compulsão. Mas agora, aos 70 anos, uma das perguntas que mais me intrigam é o que eu vou fazer quando crescer. (Otto Lara Resende)

· É difícil saber a partir de quando se está gagá. (Jean Tinguely)

· Aos vencedores, as batatas. Aos vencidos, as cascas. (Jarbas Passarinho)

· Quando teve esse concurso, meu marido disse: "Vai, que tu ganha" (sic). Aí eu vim. (Maria de Lourdes de Jesus, eleita a mulher mais feia em Pernambuco/1995)

· Um filho, numa mulher, é uma transformação. Até uma cretina quando tem um filho melhora. (Nelson Rodrigues)

· Quem não ouve com paciência não decide com precisão. (Aureliano Chaves)

· Mineiro não briga, mas também não perdoa. (Hélio Garcia)

· Como se diz lá em Minas, é melhor ser sapo grande em lagoa pequena do que sapo pequeno em lagoa grande. (Henrique Hargreaves)

· É melhor ser rabo de leão do que cabeça de formiga. (Shigeaki Ueki)

· A música é a tradição da filosofia dos sons. (Lorin Maazel/1995)

· Um homem não envelhece quando sente paixão. (Mikhail Gorbatchov)

· O poder desgasta sobretudo quem não o tem. (Felipe Gonzalez)

· Cristo foi um dos grandes poetas do mundo - tanto que 20 séculos já passaram por cima de suas palavras e elas são vivas e reviçadas todos os dias. (Manoel de Barros)

· No meu governo não faltará carne bovina nem porquina na mesa dos mineiros. (Newton Cardoso)

· Estou Phd: por hora desempregado. (Dante de Oliveira)

· Não me abaixo nem para pegar dinheiro. Sou o maior preguiçoso do universo. (João Gordo)

· Estou prevendo uma crise política de conseqüências imprevisíveis. (Dinarte Mariz)



O amigo Luiz Carlos de Azevedo descobriu — e me passou — uma página de frases. Junto veio a sugestão para que fizesse um Releituras sobre o assunto. Lembrei-me, então, que há um ano havia comprado o livro "O Brasil em mil frases", uma coletânea das melhores publicadas na seção "Frases" da Folha de São Paulo nos últimos 20 anos. Segundo o organizador, Maurício Stycer, são selecionadas a partir da leitura da Folha e de, especialmente, "O Globo", "O Estado de São Paulo", "Jornal do Brasil" e "Gazeta Mercantil", além das revistas "Veja" e "Isto É". São tantas que não dá vontade de parar. Procurei selecionar as que achei melhores. Divirtam-se.

"O Brasil em mil frases" foi publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A. - São Paulo, 1996, págs. 05 e seguintes.

Fonte: releituras.com





Posted by alone Dated31may2011



segunda-feira, 30 de maio de 2011

ELA abriu a WEBCAM e... Striper - A primeira e a ultima vez!!!




Ela quis impressionar o "man" que estava no msn com ela e a vê-la pela WEBCAM. Aí, TOMA LÁ "FRUTA"... !!!


Posted by alone Dated30may2011


Nos Momentos Felizes, a Mão Anda Sozinha



Uma coisa para mim é clara: tenho de proteger os meus ovos, que são os meus livros. Se racionalizar as coisas, perco-as. Estaria a fechar portas a mim mesmo e a essas coisas, que não sei bem se me pertencem, e emergem com essa força. Nos momentos felizes, a mão anda sozinha. A cabeça está a ver ao longe e fica contente, porque são as palavras certas que a cabeça não encontraria. É a mão.

António Lobo Antunes, in "Diário de Notícias (2004)"





Posted by alone Dated30may2011



Passei o Dia Ouvindo o que o Mar Dizia



Eu hontem passei o dia
Ouvindo o que o mar dizia.

Chorámos, rimos, cantámos.

Fallou-me do seu destino,
Do seu fado...

Depois, para se alegrar,
Ergueu-se, e bailando, e rindo,
Poz-se a cantar
Um canto molhádo e lindo.

O seu halito perfuma,
E o seu perfume faz mal!

Deserto de aguas sem fim.

Ó sepultura da minha raça
Quando me guardas a mim?...


Elle afastou-se calado;
Eu afastei-me mais triste,
Mais doente, mais cansado...

Ao longe o Sol na agonia
De rôxo as aguas tingia.

«Voz do mar, mysteriosa;
Voz do amôr e da verdade!
- Ó voz moribunda e dôce
Da minha grande Saudade!

Voz amarga de quem fica,
Trémula voz de quem parte...»

. . . . . . . . . . . . . . . .

E os poetas a cantar
São echos da voz do mar!

António Botto, in 'Canções'




Nota: grafia da época e original.






Posted by alone Dated30may2011


domingo, 29 de maio de 2011

Uma PIADinha... curtinha e bem simplesinha: "O que lhe parece Sr. Doutor ?"



Um paciente chega ao consultório e diz:
-Senhor doutor, crescem-me pelos por todo o lado,
não sei porque nem o que fazer, diga-me o que lhe parece!
O médico
responde:
-Um ursinho de peluche!

Fonte: piadascurtas.org




Posted by alone Dated29may2011



Serenade - Companhia Nacional de Bailado (Portugal)








www.cnb.pt
Choroegraphy by George Balanchine.
Music by Piotr Ilitch Tchaikovsky.
Duet Ana Lacerda and Fernando Duarte.
Trio Roberta Martins Ana Lacerda and Frederico Gameiro
World Premiere,New York, Adelphi Theater, 1 March 1957.
CNB Premiere, Lisbon, Municipal Theater Sao Luiz, ,23 June 1982.
CNB Performance 15, October 2009
(vidé vídeo)




..."a insustentável leveza de vários sêres"...


Posted by alone Dated29may2011


Assim se Revisita o Coração



Só mal tocando as cordas
Da memória
Consegue o coração ressuscitar

Porque era este lugar
que eu precisava agora
como em deserto até
ao infinito,
e de repente,
uma gravidez imensa,
um cacto verde e limpo

Porque os olhos conhecem
estes sons
de dar à luz o vento
e são-lhe amantes
de tangível luz

Só mal tangendo as cordas
da memória
como estas flores
se tingem de alegria

Porque era neste azul
que eu me queria
como a rocha transpira
e se resolve
em mar

Ana Luísa Amaral

Fonte: astormentas.com




Posted by alone Dated29may2011