Eu e SÓ EU...

Eu e SÓ EU...
Alone

Como EU sou...

Photo Effects by Wishafriend
Photo Effects By WishAFriend.com

Bom Dia, Boa Noite... "essas coisas"!

Posting

Photo Flipbook Slideshow Maker
PORTUGAL é "só isto"...?!... NÃO... essencialmente, é UM POVO...!!!

Provérbios

“Só um sentido de invenção e uma necessidade intensa de criar levam o homem a revoltar-se, a descobrir e a descobrir-se com lucidez”. (Pablo Picasso)

PORTRAIT




Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos, agora, você vai dar para frente.

Gedeão


Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo o tempo sofreu. As lágrimas são as minhas mas o choro não é meu.A.Gedeão

A(o)s que me deixam MENOS alone...!!!

sábado, 11 de junho de 2011

AMANTE PROFISSIONAL DA 4ª IDADE



Velho charmoso, com lindos olhos verdes (cobertos com cataratas), loiro (só dos lados), atlético (sou torcedor), corpo malhado (pelo vitiligo), um metro e noventa (sendo um metro de altura e noventa de largura).
Atendo em motéis, residências,elevadores panorâmicos, etc.
Só não atendo em "drive-in" por causa das dores na coluna.
Alegro festa de Bodas de Ouro, convenções e excursões da terceira idade. Meço pressão, aplico injeções e troco fraldas geriátricas......
tudo com o maior charme.
Atendo no atacado e no varejo. Traga suas amigas. Maiores de sessenta e cinco, por força de lei, não pagam.
Mas só terão direito à entrada pela "porta" da frente.
Serão concedidos descontos para grupos geriátricos: quanto mais nova.....
maior o desconto.
Por questões de vaidade, não serão permitidas filmagens, pois, no momento, estou precisando operar de uma hérnia inguinal, meio anti-estética.
Como fetiche posso usar touca de lã, pantufas e cachecóis coloridos.
Outra vantagem:
Já tenho "Parkinson" o que ajuda muito nas preliminares.
Total discrição, pois o "Alzhaymer" me faz esquecer tudo que fiz na noite anterior.
Só ativo, pois estou velho mas não sou bobo.


Fonte: sotextos.com




Posted by alone Dated11jun2011


Olhos Castanhos - Francisco José (legendado)




alone: gostei da "nota" LEGENDADO...!!! Fez-me lembrar um vendedor de revistas que, "em tempos", vendia revistas na "fila" para o barco para Tróia (Setúbal). Dizia ele: ... E QUEM NÃO SABE LER, VÊ OS "BONECOS"... rsrs


FRANCISCO JOSÉ: um Homem e um Artista "sem Medos" e que cantava "desta forma"...!!!


Posted by alone Dated11jun2011


ILHA



Ilha não é só um pedaço de terra cercado por água por tudo quanto é lado.

Ilha é qualquer coisa que se desprendeu de qualquer continente.

Por exemplo: um garoto tímido abandonado pelos amigos no recreio, é uma ilha.

Um velho que esperou a visita dos netos no Natal e não apareceu ninguém, é uma ilha.

Até um cara assoviando leve, bem humorado, numa rua cheia de trânsito e stress, é uma ilha.

Tudo na gente que não morreu, cercado por tudo o que mataram, é uma ilha.

Toda ilha é verde.

Uma folha caindo é ilha cercada de vento por tudo quanto é lado.

Até a lágrima é ilha, deslizando no oceano da cara.

(mantida a grafia original)



Oswaldo Montenegro

Fonte: sotextos.com



Posted by alone Dated11jun2011


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Chico da Cana - Desejo de Voltar




alone: quem me pode "culpar" por AMAR a minha terra e as suas gentes...?!...


Ah, Chico: como cantavas TÃO BEM a "nossa" cidade...!!!



Posted by alone Dated10jun2011


AMÁLIA canta " Cheira bem cheira a Lisboa" Inédito c/orquestra e coral




AMÁLIA num FADO célebre em Portugal e pela voz da Anita Guerreiro.


Espero que GOSTEM!


Posted by alone Dated10jun2011


A Mudança de Lugar não Muda a Dor do Sentimento



10 de JUNHO, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades.






Quão mal está no caso quem cuida que a mudança de lugar muda a dor do sentimento! E, se não, diga-o quien dijo que la ausencia causa olvido. Porque, enfim, la tierra queda, e, o mais, a alma acompanha. Ao alvo destes cuidados jogam meus pensamentos à barreira, tendo-me já, pelo costume, tão contente, de triste, que triste me faria ser contente; porque o longo uso dos anos se converte em natureza. Pois o que é para maior mal, tenho eu para maior bem. Ainda que, para viver no mundo, uso um outro pano, para não parecer coruja entre pardais, fazendo-me um para ser outro, sendo outro para ser um; mas a dor dissimulada dará seu fruto, que a tristeza no coração é como a traça no pano.

E por tão triste me tenho
que, se sentisse alegria,
de triste, não viveria.
Porque a tal sorte vim
que não vejo bem algum
em quanto vejo,
que não nasceu para mim;
e por não sentir nenhum,
nenhum desejo.

Porque, coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las. E, por isso

Só tristeza ver queria,
pois minha ventura quer
que só ela conheça por alegria,
e que, se outra quiser,
morra por ela.

Luís Vaz de Camões, in "Cartas"



Nota: mantida a grafia original




Posted by alone Dated10jun2011



Felicidade Eterna



Antigamente todos os contos para crianças terminavam com a mesma frase, e foram felizes para sempre, isto depois de o Príncipe casar com a Princesa e de terem muitos filhos. Na vida, é claro, nenhum enredo remata assim. As Princesas casam com os guarda-costas, casam com os trapezistas, a vida continua, e os dois são infelizes até que se separam. Anos mais tarde, como todos nós, morrem. Só somos felizes, verdadeiramente felizes, quando é para sempre, mas só as crianças habitam esse tempo no qual todas as coisas duram para sempre.


José Eduardo Agualusa, in 'O Vendedor de Passados'



Posted by alone


Dated10jun2011


quinta-feira, 9 de junho de 2011

BIOLÓGICAS, EXATAS E DESUMANAS



Não terei tempo de procurar na rede o nome do culpado pela divisão das disciplinas de educação em três vertentes, mas de alguma forma o conhecimento formal ficou dividido em ciências biológicas, ciências exatas e ciências humanas. Acho lindo que tudo seja tratado de forma cientifica e organizada mas temo que esta tripartição não tenha sido um bom negócio, especialmente hoje, vendo que duas pernas se desenvolveram e uma ficou atrofiada. O homem passeia em Marte com seu robô e envia imagens ao vivo, com exatidão tecnológica surpreendente. Aqui na Terra, clona-se seres vivos e as esperanças de cura se renovam com o desenvolvimento de pesquisas com células-tronco. O tripé do conhecimento desenvolveu pernas longas e bem torneadas para as exatas e biológicas. Infelizmente, com o crescimento das outras duas, a terceira perninha, as ciências humanas, que incluem coisas como a filosofia e a ética, ficou ali, atrofiada e penduradinha como um bilauzinho no inverno polar. E isso, tem tudo a ver com a crise humana do mundo atual.

Estamos todos mais grotestos, mais rudes, mais estúpidos. Somos bem informados mas nos tornamos ignorantes. Temos automóveis com GPS mas dirigimos como trogloditas neuróticos. Viajamos pelo mundo inteiro mas temos preguiça de procurar o baldinho de lixo para jogar o papelzinho da bala. A falta de finesse é geral. Isso tudo, se não for coisa do demo, se não for a prova definitiva de que o projeto ‘ser humano’ não deu certo, só pode ser atribuído à falta de atenção que demos às ciências humanas, justamente aquelas mais sutis, que não dependem de equações, que não se baseiam nas medições matemáticas e não podem ser testadas em laboratório.

O vórtice vicioso que nos suga ralo abaixo passa por todas as estatísticas de descaso com as disciplinas que podem desenvolver o refinamento das pessoas. Não existem empregos para filósofos, sociólogos, pedagogos, historiadores, cientistas sociais. E, por não ter mercado, os estudantes não optam por estas matérias na hora de fazer o vestibular. Como a procura é pouca, há poucos cursos e etc. e tal.

O que fazer? Bem, esta é uma resposta para as ciências humanas também. Quem tiver sobrevivido na área terá que formular as soluções para esta crise de humanidade que vivemos hoje. Não sei onde o flower power murchou, onde o amor livre foi preso ou como a vida em fazendas cooperativas se transformou nesse mar de prédios de escritórios neuróticos baseados na competição. Só sei que temos que voltar até a bifurcação onde tomamos a trilha errada. Nesta trilha, ansiedade e depressão nos matam, o estresse e a má alimentação engordam, a ira destrói toda nossa capacidade de sentir e amar.

Eu, lentamente, comecei a voltar. E adoraria contar com todas as pessoas de bem, os irmãos de fé, os companheiros de jornada, os camaradas de ideologia, os humanos de coração, para um grande encontro de volta naquele velho ponto da bifurcação. Onde um dia, alguém colocou uma flor no cano de uma carabina.

Humanos, uni-vos.



(texto na grafia original)


Rosana Hermann

Rosana Hermann escreve no Blônicas todas as quartas, sempre uma crônica de quinta, até segunda ordem.



Fonte: sotextos.com




Posted by alone Dated09jun2011


Era o dia do exame final (PIADA, incluindo pra LOIRAS...!)



O Joãozinho ia ser examinado pela professora em prova oral, e a professora, que era nova na escola, iria ser observada pelo diretor. Sentam-se a Professora e o Joãozinho, um de frente para o outro, e o Diretor ficou em pé, atrás do menino. A professora pergunta:

- Joãozinho, o que D. Pedro I disse quando proclamou a independência do Brasil ?
(Enquanto isso a professora derruba o lápis no chão, e abaixa-se para pegar)

Quando a professora se levanta, pergunta:

- E, então, Joãozinho o que ele disse?

- Hummmm... peitinhos maravilhosos!!!!

- Não é nada disso!!! Zero!!! - diz a Professora, nervosa.

O Joãozinho vira-se pro diretor:

- Pô, cara! Se não sabe... não sopra!!!

Origem: confiar.atspace.com




Posted by alone Dated09jun2011


1lindomenino escreveu sobre "ENTENDIMENTO"



Do artigo que escrevi no 1lindomenino, fiz um link aquí para o alone porque acho importante este "tema", especialmente para nós que convivemos pela Net quase todos os dias e, também, no nosso dia-a-dia em casa, no café ou no emprego.








No meu entender do "entendimento" é que NINGUÉM, por motivo algum, deva permanecer CONTRA SUA VONTADE a "aturar" seja quem for...!!! Seja um "amigo, um simples "conhecido" ou -no nosso caso- um(a) "seguidor(a). Faz o DELETE da pessoa "em causa" e... sai do processo! Coisas simples e práticas que podemos fazer sem estar PERMANENTEMENTE a pôr em causa o(a) outro(a). Simples e "prático", não é ...?!






Posted by alone Dated09jun2011


A Invisibilidade é a Condição para a Elegância



Parece-me que a invisibilidade é a condição para a elegância. A elegância acaba se for notada. Sendo a poesia a elegância por excelência, não sabe ser visível. Então, para que serve?, dir-me-eis. Para nada. Quem a vê? Ninguém. O que a não impede de ser um atentado contra o pudor, e apesar de o seu exibicionismo se exercer entre os cegos. Contenta-se em exprimir uma moral particular. Depois, esta moral particular solta-se sob a forma de obra. Exige que a deixem viver a sua vida. Faz-se pretexto para imensos mal-entendidos que se chamam a glória. A glória é absurda por resultar de um ajuntamento. A multidão cerca um acidente, conta-o a si mesma, inventa-o, perturba-o até se transformar noutro. O belo resulta sempre de um acidente. De uma quebra brutal entre hábitos adquiridos e hábitos a adquirir. Derrota, nauseia. Chega a causar horror. Quando o novo hábito for adquirido, o acidente deixará de ser acidente. Far-se-á clássico e perderá a virtude de choque. Por isso uma obra nunca é compreendida. É admitida. Se não me engano, a observação pertence a Eugène Delacroix: «Nunca se é compreendido, é-se admitido». Matisse repete com frequência esta frase.

Jean Cocteau, in 'Visão Invisível'




Posted by alone Dated09jun2011


quarta-feira, 8 de junho de 2011

HORA DE OUVIR OS ELEFANTES







A tragédia do Tsunami trouxe uma lição. Perdida no meio do oceano de notícias, soube-se que no Yala National Park, Sri Lanka, bem no meio de uma regiões mais afetadas pela mega onda, nenhum animal foi encontrado morto!

Repito: num parque onde havia 19 Km de praias, habitadas por centenas de elefantes, leopardos, pássaros, coelhos... ninguém morreu!

Verificou-se com espanto que antes da chegada do maremoto os animais, por alguma razão ainda não esclarecida, se deslocaram da praia e das áreas mais baixas, para a parte mais alta do parque. As águas chegaram a entrar 3 Km parque a dentro. Mas ali não havia ninguém. Ou melhor, nenhum bicho foi pego de calças curtas.

Surgiram alguns palpites. Na BBC e na National Geographic, cientistas afirmaram que possivelmente o fato se deu porque os animais ouvem uma freqüência de som produzida pelo terremoto, mais baixa do que as que os nossos ouvidos captam.
Segundo ele, os bichos também sentem vibrações no solo e do ar, as rally waves, estas, sim, também somos capazes de sentir em nosso próprio corpo. Ou melhor, seríamos. Nossa mente anda tão congestionada de informação, que apesar das rally waves chegarem até nossos corpos, essa informação é simplesmente deletada da nossa consciência.
Entenderam a tragédia?

Resumo: os bichos se salvaram porque estavam conectados. Nós, seres humanos, nos estrepamos porque estávamos também conectados, só que em outras ondas: rádio, TV, videogame, ou mesmo o sonzão do carro ou do botequim tocando no último um bate-estaca de ano novo.

Nesses meus poucos dias de férias, persegui como um louco a tecla mute do controle remoto. Tentando diminuir pelo menos o volume do mundo ao meu redor. Valorizar o botão de desliga. Tá ligado?

Tá na hora da gente ouvir menos o barulho e mais os elefantes.

Marcelo Tas


Fonte: sotextos.com




Posted by alone Dated08jun2011

Uma "PIADINHA" pela manhã: "É Preciso Gravata"



Um português caminha pelo deserto a gritar:
— Água... Água... Estou a morrer de sede! Entretanto, avista um homem que vem na direcção dele:
— Amigo, água... Ajude-me!
— Lamento, mas só vendo gravatas!
E o homem continua o caminho, desesperado, à procura de água. Já de rastos, avista um bar no deserto.
— Água, por favor!
Diz o porteiro:
— Aqui só entra quem tiver gravata!


Fonte: citador.pt




Posted by alone Dated08jun2011


Meditação Sobre os Poderes



Rubricavam os decretos, as folhas tristes
sobre a mesa dos seus poderes efémeros.
Queriam ser reis, czares, tantas coisas,
e rodeavam-se de pequenos corvos,
palradores e reverentes, dos que repetem:
és grande, ninguém te iguala, ninguém.
Repartiam entre si os tesouros e as dádivas,
murmurando forjadas confidências,
não amando ninguém, nada respeitando.
Encantavam-se com o eco liquefeito
das suas vozes comandando, decretando.
Banqueteavam-se com a pequenez
de tudo quanto julgavam ser grande,
com os quadros, com o fulgor novo-rico
das vénias e dos protocolos.
Vinha a morte
e mostrava-lhes como tudo é fugaz
quando, humanamente, se está de passagem,
corpo em trânsito para lado nenhum.
Acabaram sempre a chorar sobre a miséria
dos seus títulos afundados na terra lamacenta.


José Jorge Letria, in "Quem com Ferro Ama"




Posted by alone Dated08jun2011


terça-feira, 7 de junho de 2011

Atriz Famosa (PIADA... de dôr-de-corno... !!!)

Ela "só estava" a ensaiar... nada mais!...




O marido daquela famosa atriz pornô chega em casa um pouco mais cedo e surpreende a mulher transando com quatro caras na cama do casal.

— Mas, o que é isso? — pergunta o multi-corno, indignado.

— Não é nada não, meu bem — ela explica. — Estou apenas estudando o roteiro do meu próximo filme...

Fonte: sonhar e viver (portrui.spaceblog.com.br)



Posted by alone Dated07jun2011

Quase



Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Sarah Westphal

Fonte: pensador.uol.com.br





Posted by alone Dated07jun2011

segunda-feira, 6 de junho de 2011

EUA versus PORTUGAL

Picture Captions



Posted by alone Dated06jun2011

ERNESTO CORTAZAR- Under the rain together



Reflexão de alone: hoje "só dá isto"!... Desculpem mas as ELEIÇÕES deixaram-me assim "esquisito"... embora, como é NORMAL, eu seja um "seguidor" do doutor Passos Coelhos desde "pequenino"... !!! Há que "sobreviver"...!!!



Posted by alone Dated06jun2011

O “destino” MARCA A HORA...

Este NÃO É o "Portugal dos Pequeninos"... é o "Portugal dos Grandes". Não é em Coimbra, NÃO!!!... É em TODO O PAÍS e... ILHAS...!!!



... e o “lendário” ex-primeiro, ex-secretário geral do PS, ex, ex, ex... JOSÉ SÓCRATES “FOI-SE”...!!!
23 anos a servir a “causa pública” (que lembrou MUITO BEM na "despedida"...) era, realmente, já MUITO TEMPO e, isto, sem contar com “as c...., desculpem, “borradas” que, entretanto, fez...!!! E, infelizmente para ele e MAIS para nós, foi a “andar” (... senhores: não tornem ISTO mais difícil...) TALVEZ um pouco TARDE de mais mas... foi agora, que fazer, não é, sôr Engenheiro...?!
Vai ficar nas “bases” (de submarinos do doutor Portas, julga-se!...) e a ser um Português “empenhado” com o dia-a-dia -como qualquer outro Português. Compreende-se porque disso de “empenhados”... NÓS SABEMOS DE CÁTEDRA...!!!
De VOLTA (dá a volta, MANEL...) o PPD-PSD e, ao que tudo indica, o CDS-PP. 40 anos destas “trocas e baldrocas” que, com ou sem Sócrates, ajudaram ESTE PEQUENO SUBMARINO a cada vez BATER MAIS NO FUNDO!...
Venham mais quatro...!!!
O Povo Português VOTOU... “TÁ VOTADO”!...
Queixem-se “ao despois”...!!!




Vosso amigo de “infortúnio”
Alone




Written and Published by alone
Dated06jun2011

domingo, 5 de junho de 2011

Bom Dia Brasil - Alexandre Garcia fala sobre uso da língua portuguesa








Aboliu-se o mérito e agora aprova-se a frase errada para não constranger
Alexandre Garcia comenta o livro de português, abonado pelo MEC, que defende que não há o errado na língua portuguesa, mas o inadequado.

Na semana passada, foi distribuído para quase meio milhão de alunos um livro de português que defende um novo conceito sobre o uso da língua portuguesa. Não teria mais certo ou errado, e sim adequado ou inadequado, dependendo da situação.
O Ministério da Educação esclareceu que a norma culta da língua portuguesa será sempre a exigida nas provas e avaliações.
Quando eu estava no primeiro ano do grupo escolar e falávamos errado, a professora nos corrigia, porque estava nos preparando para vencer na vida.
É notório que o conhecimento liberta, forma eleitores e contribuintes conscientes, gente que cresce e faz o país crescer.
É notório que o conhecimento vem pela educação na escola, em casa e na vida. E é óbvio que a raiz de tudo está na capacidade de se comunicar, na linguagem escrita que transmite e difunde o conhecimento e o pensamento. Isso é o que diferencia o homem dos outros animais.
A educação liberta e torna a vida melhor, nos livra da ignorância, que é a condenação à vida difícil. Quem for nivelado por baixo terá a vida nivelada por baixo.
Pois, ironicamente, esse livro se chama "Por uma vida melhor". Se fosse apenas uma questão linguística, tudo bem, mas faz parte do currículo de quase meio milhão de alunos.
E é abonado pelo Ministério da Educação. Na moda do politicamente correto, defende-se o endosso a falar errado para evitar o preconceito linguístico.
Ainda hoje, todos viram o chefão do FMI algemado. Aqui no Brasil, ele não seria algemado porque não ofereceria risco.
No Brasil, algemas constrangem os detidos. Aqui, os alunos analfabetos passam automaticamente de ano para não serem constrangidos. Aboliu-se o mérito e agora aprova a frase errada para não constranger.
A Coreia saiu arrasada da guerra através de duas ou três décadas de educação rígida. A China, que há poucos anos estava atrás do Brasil, sabe onde está indo a razão de 10% ao ano do PIB: com educação rígida, tradicional, competitiva e premiando o mérito.
Aqui, estamos apontando para o sentido contrário.

Enviado por gleidsonesamira em 17/05/2011 (vide vídeo)



Posted by alone Dated05jun2011


O sal da língua



Escuta, escuta: tenho ainda

uma coisa a dizer.

Não é importante, eu sei, não vai

salvar o mundo, não mudará

a vida de ninguém
- mas quem

é hoje capaz de salvar o mundo

ou apenas mudar o sentido

da vida de alguém?

Escuta-me, não te demoro.

É coisa pouca, como a chuvinha

que vem vindo devagar.

São três, quatro palavras, pouco

mais.
Palavras que te quero confiar,

para que não se extinga o seu lume,

o seu lume breve.

Palavras que muito amei,

que talvez ame ainda.

Elas são a casa,
o sal da língua.




Eugénio de Andrade


Eugénio de Andrade (José Fontinhas) é um inspirado poeta português nascido em Póvoa de Atalaia (Fundão), a 19 de Janeiro de 1923.

Fonte: releituras.com



Posted by alone Dated05jun2011